Você encontra aqui conteúdos da disciplina História e Cultura Afro- Brasileira para estudos e pesquisas, como também, assuntos relacionados à Política, Religião, Saúde, Educação, Gênero e Sociedade.
Enfim assuntos sobre o passado e sobre nosso cotidiano relacionado à História do Brasil e do Mundo.







Seguidores

Visitantes

domingo, 2 de janeiro de 2011

POSSE DA 1ª PRESIDENTA DO BRASIL DILMA ROUSSEF







A presidente Dilma Rousseff recebeu neste sábado (1°), no Palácio do Planalto, cumprimentos dos chefes de Estado e autoridades convidados para a cerimônia de posse.

A presidente Dilma Rousseff recebeu os cumprimentos do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, e da secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton. A presidente e Hillary conversaram por cerca de um minuto durante os cumprimentos. O primeiro chefe de Estado a falar com Dilma foi o presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos.

Também cumprimentaram Dilma os presidentes de El Salvador, Peru, Uruguai, Guatemala, Chile, Bolívia, Paraguai, Suriname, Guiné-Bissau e República da Guiné.

Dilma recebeu ainda os cumprimentos de chefes de governo de Portugal, Senegal, Coreia do Sul, Qatar, Bulgária, Haiti, Marrocos, Sri Lanka, São Tomé e Príncipe, Jamaica e Japão. O príncipe de Astúrias, Felipe de Bourbon, representou a Espanha na cerimônia.

Durante a cerimônia, os chefes de estado conversaram e trocaram cumprimentos. Entre eles, estavam a secretaria de Estado americana, Hillary Clinton, e o presidente da Venezuela, Hugo Chávez.

POSSE DA PRESIDENTA DILMA ROUSSEF


A cerimônia de posse de Dilma Rousseff ainda não havia nem sido concluída e grandes veículos de comunicação internacionais já repercutiam o fato de o Brasil ter uma nova governante, neste sábado.

O site da emissora americana CNN disse que a primeira mulher presidente do Brasil assumiu o cargo em meio a aplausos e lágrimas de seus simpatizantes, "muitos dos quais seguiram sua ascensão de defensora da liberdade brutalmente perseguida nos anos 60 a líder de seu País". Além disso, o veículo afirmou que Dilma discursou que sentia o peso histórico de sua gestão, que chega quase 41 anos depois de ter sido presa e torturada durante a ditadura.

Enquanto isso, a versão online do jornal Wall Street Journal afirmou que Dilma tem um currículo extenso, que inclui "guerrilheira de esquerda, prisioneira política e sobrevivente de câncer", apesar de ter sido a primeira vez que concorreu em uma eleição. O veículo disse ainda que a nova presidente tem muitos desafios pela frente, incluindo a valorização recente do real diante do dólar, o que prejudica as exportações e torna os produtos importados mais competitivos.

Já o jornal argentino El Clarín disse que Dilma foi peça fundamental do governo de Luiz Inácio Lula da Silva e se tornou a primeira mulher presidente no País, ao receber a faixa presidencial de seu antecessor, que "sai de cena com uma popularidades sem precedentes".

Na Europa, o periódico francês Le Monde afirmou que a petista foi "escolhida pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva para sucedê-lo" e que conquistou os brasileiros com promesas de continuidade política, diplomática, econômica e social.

O espanhol El País, por sua vez, disse que havia muita especulação entre o público presente sobre como a posse se desenrolaria e que Dilma não se esqueceu de falar sobre os menos favorecidos. "A ex-guerrilheira, que fez alusão a sua biografia, não se esqueceu dos 'menos favorecidos', nos quais se centrará boa parte de sua ação de governo, nem de seu antecessor e mentor político, o popular Luiz Inácio Lula da Silva, cuja apenas a menção arrancou aplausos enérgicos na Câmara", afirmou.

Na Bulgária, a agência Novinite destacou, mais uma vez, que Dilma é filha de imigrante búlgaro, afirmando que a "chuva torrencial" em Brasília não conseguiu abalar a cerimônia de posse, enquanto "milhares de pessoas" se exaltaram com a chegada da presidente eleita.

Nenhum comentário:

Postar um comentário