Você encontra aqui conteúdos da disciplina História e Cultura Afro- Brasileira para estudos e pesquisas, como também, assuntos relacionados à Política, Religião, Saúde, Educação, Gênero e Sociedade.
Enfim assuntos sobre o passado e sobre nosso cotidiano relacionado à História do Brasil e do Mundo.







Seguidores

Visitantes

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

As Mulheres no Islam.

Traduzido por Ali Sivonaldo Alexandre da Silva.

“Uma mulher é um vaso de flor de beleza e fragrância. Portanto cheire-a suavemente, não lute com ela!” - Imam Ali (A.S.)

“A mulher parece-se com as flores. Não os ponham responsabilidades que eles não podem carregar!” - Imam Ali (A.S.)

Segundo o Islam, sendo ser humano, a mulher é até superior aos anjos e todos outros organismos vivos. Se ela executar alguma boa tarefa ou feito, ela será abençoada da mesma forma que um homem.

Ela é a benfeitora e a patrona do Islam, como senhora Khadija (a Esposa do Profeta Sagrado (S.A.A.S.)).

Ela é parceira do profeta, como a senhora Fatima (a Filha do Profeta Sagrado (S.A.A.S.)).

Ela é um dos grandes líderes, como a senhora Zainab (a Filha do Imam Ali (A.S.))

Ela superior ao homem, como uma mãe.

Ela é respeitável como um santo.

Ela é preciosa como uma pérola.

Ela é honrosa como uma flor delicada.

O Islam acentua a igualdade de todas as pessoas, apesar da raça, étnica, gênero ou posição social. O Islam prescreveu papéis diferentes e responsabilidades aos homens e mulheres, com cada gênero completando o outro. Séculos antes do mundo moderno o Islam reconheceu os direitos da mulher, o Islam reconheceu a igualdade dos dois gêneros, e aboliu o ritual selvagem de enterrar filhas vivas, um crime ultrajante praticado pelos árabes antes do tempo do Profeta Sagrado (S.A.A.S.).

O Islam fez as mulheres conscientes dos seus direitos e deu-lhes uma identidade, uma personalidade, liberdade, e independência. Esses direitos, entre outros, incluem o direito de herdar, possuir a propriedade, obter um divórcio, reunir um dote, e ganhar à custódia das crianças. Quanto à igualdade dos gêneros, o Alcorão diz:

"Quanto aos muçulmanos e às muçulmanas, aos fiéis e às fiéis, aos consagrados e às consagradas, aos verazes e às verazes, aos perseverantes e às perseverantes, aos humildes e às humildes, aos caritativos e às caritativas, aos jejuadores e às jejuadoras, aos recatados e às recatadas, aos que se recordam muito de Deus e às que se recordam d’Ele, saibam que Deus lhes tem destinado a indulgência e uma magnífica recompensa”. (33:35)

Os Muçulmanos consideram quatro senhoras como as mais nobres e piedosas:

1. Aasiya - a Esposa do Faraó (a paz esteja sobre ela)

2. Maryam / Maria - a Mãe de Isa / Jesus (a paz esteja sobre ela)

3. Khadija - a Esposa do Profeta Muhammad (S.A.A.S.)

4. Fatima - a Filha do Profeta Muhammad (a paz esteja sobre ela)

Mãe (A Fonte da Vida)

“E o paraíso está abaixo dos pés de suas mães” disse o Profeta Muhammad (S.A.A.S.)

O Islam acentuou muito a questão do carinho e respeito aos pais. Na nossa infância, precisamos da proteção, amor e criação dos pais; mas quando eles ficam velhos, eles precisam de nós para protegê-los.

"O decreto de teu Senhor é que não adoreis senão a Ele; que sejais indulgentes com vossos pais, mesmo que a velhice alcance um deles ou ambos, em vossa companhia; não os reproveis, nem os rejeiteis; outrossim, dirigi-lhes palavras honrosas. E estende sobre eles a asa da humildade, e dize: Ó Senhor meu, tem misericórdia de ambos, como eles tiveram misericórdia de mim, criando-me desde pequenino!” (17:23-24)

Contudo, fora dos dois, deram à mãe a maior prioridade no que diz respeito à bondade. Uma vez Hakim ibn Hizam veio ao Profeta do Islam e perguntou: “Com quem devo ser gentil?" O Profeta respondeu, "Sua mãe." Hakim perguntou, "Então, depois a quem?" O Profeta disse, "Sua mãe." Hakim perguntou, "Então, depois a quem?" O Profeta respondeu, "Sua mãe." Só quando Hakim perguntou a quarta vez que, "Então, depois a quem?" o Profeta respondeu, "O seu pai." Isto mostra que o direito da mãe sobre as crianças é três vezes mais do que os direitos do pai no assunto da bondade.

O Imam Ali Ibn Hussain, bisneto do Profeta, disse: "Vindo aos direitos de parentes, ele é o direito de sua mãe que você deve apreciar, ela o transportou no seu ventre como ninguém transporta ninguém, e alimentou você com os frutos do seu coração, algo com o que ninguém alimenta ninguém, e protegeu você durante a gravidez com as suas orelhas, mãos, pernas, cabelo, membros, com o seu ser inteiro, alegremente, alegremente e cuidadosamente; sofrendo pacientemente todas as preocupações, dores, dificuldades e tristezas da gravidez, até que a mão de Deus o retirasse dela e lhe trouxesse neste mundo."

"Então ela foi a sua alimentação mais feliz, mesmo se ela mesma não tivesse nenhuma roupa oferta a você leite e água; não gostando muito da sua própria sede; cuidado de você à sombra, mesmo se ela tivesse de sofrer com o calor do sol; oferta a você cada conforto com a sua própria miséria; acalma você para dormir guardando-se acordada."

"E lembram-se de que o seu ventre fosse a sua permanência, e o seu regaço o seu refúgio, e o seu peito o seu alimentador, e a sua existência inteira a sua proteção; foi ela, não você, quem desafiava o calor e o frio deste mundo para sua segurança."

"Por isso, você deve permanecer-lhe agradecido conseqüentemente, e você não pode fazer assim exceto pela ajuda de Deus." (O Tratado dos Direitos)

O Papel da Mulher no Islam

O Objetivo da Vida: Onde quer que Deus fale sobre os seres humanos ou sempre que Ele fala sobre a alma humana no Alcorão, os teólogos e eruditos nunca consideraram a humanidade ou a alma como 'masculino' ou 'feminino'. (Ver 51:56, 91:1-10; 53:38-39)

A divisão masculina ou feminina só é possível quando falamos sobre a dimensão física dos seres humanos, não quando falamos sobre a dimensão espiritual. E assim, da perspectiva Islâmica, a humanidade da mulher nunca foi negada ou interrogada; nem houve alguma vez qualquer discussão se ela possui uma alma ou não. Desde que ambos são os mesmos na sua humanidade, ambos foram criados para o mesmo objetivo: servir a Deus.

As Virtudes nos Seres Humanos: Sempre que o Islam fala sobre as virtudes dos seres humanos, ele não diferenciou entre homens e mulheres. Ambos têm o potencial para adquirir o conhecimento. Espera-se que ambos, homens e mulheres, exponham o espírito da piedade e outros bons atributos do Islam.

Modéstia e Decência (A Mais Alta Realização da Humanidade)

O Alcorão Sagrado proclama:

“Ó Profeta, dize a tuas esposas, tuas filhas e às mulheres dos fiéis que (quando saírem) se cubram com as suas mantas; isso é mais conveniente, para que distingam das demais e não sejam molestadas; sabei que Deus é Indulgente, Misericordiosíssimo”. (Sura -Ahzaab, verso 59)

“Dize às fiéis que recatem os seus olhares, conservem os seus pudores e não mostrem os seus atrativos, além dos que (normalmente) aparecem; que cubram o colo com seus véus e não mostrem os seus atrativos, a não ser aos seus esposos, seus pais, seus sogros, seus filhos, seus enteados, seus irmãos, seus sobrinhos, às mulheres suas servas, seus criados isentas das necessidades sexuais, ou às crianças que não discernem a nudez das mulheres; que não agitem os seus pés, para que não chamem à atenção sobre seus atrativos ocultos. Ó fiéis, voltai-vos todos, arrependidos, a Deus, a fim de que vos salveis! (Sura -Nur, verso 31)

O Islam não permite a mistura livre e irrestrita dos sexos. A regra da modéstia aplica-se a homens bem como mulheres.

O Corrupto contra o Puro:

“As despudoradas estão destinadas aos despudorados, e os despudorados às despudoradas; as pudicas aos pudicos e os pudicos às pudicas. Estes últimos não serão afetados pelo que deles disserem; obterão indulgência e um magnífico sustento”. (24:26)

“As melhores Jóias de uma mulher são a sua timidez”. Disse a Senhora Fatima Zehra (A.S.)

“As meninas permanecem belas com Hijaab”, disse o Profeta Mohammad (S.A.A.S.)

Hajira (Mãe de Ismael):

O profeta Ibrahim tinha 90 anos e não teve nenhuma criança. Sarah, sua esposa, deu a sua serva, de nome Hajira, a Ibrahim como uma esposa. Através de Hajira, Deus Todo-poderoso abençoou Ibrahim com um filho: Ismael (A.S.).

Sarah ficou com ciúmes de Hajira. Finalmente, decidida a testar a paciência de Ibrahim pediu-lhe a tomar Hajira e a criança e leva-las a um deserto e deixá-los lá. Ibrahim foi guiado àquela área do deserto que depois ficou famosa como a cidade de Meca. O profeta Ibrahim trouxe Hajira e Ismael à Meca e deixou-os como ordenado por Deus.

Todas as provisões que Ibrahim tinha trazido para sua esposa e criança finalmente esgotaram-se. O bebê Ismael começou a gritar de sede. Hajira saiu em busca de água. Ela estava na pequena colina de Safa; ela olhou em direção à colina de Marwah e pensou que havia água lá adiante. Quando ela conseguiu chegar Marwah não havia água; era apenas uma miragem. Ela virou foi Safa e pensou que houvesse água lá adiante. Mas não havia nenhuma água; foi somente uma miragem.
Como mãe, desesperadamente procurando água para sua criança, Hajira dirigiu entre as colinas de Safa e Marwah sete vezes. Finalmente, ela viu que uma corrente de água tinha começado nos pés de Ismael. Este milagre ainda está correndo junto à Kaaba, a Casa de Deus, e é conhecido como Zamzam.

Deus amou o espírito de maternidade demonstrada por Hajira, a qual dirigiu sete vezes entre as colinas de Safa e Marwah à procura da água para sua criança que Ele ordenou aos peregrinos muçulmanos andar entre as colinas de Safa e Marwah quando eles vão para a peregrinação.

O ritual da marcha entre as duas colinas de Safa e Marwah sete vezes é parte essencial da peregrinação e perpetua a memória de Hajira como uma mãe.

Asiya (A Esposa do Faraó).

O Alcorão apresentou Asiya bint Muzahim como um dos melhores modelos de mulher.

A grandeza de Asiya está no fato que embora ela fosse a esposa de um dos mais poderosos, arrogante e soberanos tiranos do Egito, ela foi capaz de ver e aceitar a verdade na mensagem do Profeta Moisés. Para ela, prosperidade, beleza ou posição não era o critério principal da excelência humana; ela percebeu que sem fé em Deus, um ser humano não tem nada.

Deus tinha-a escolhido para fornecer refúgio a Moisés quando ele era um bebe. Quando as suas servas trouxeram o berço de Moisés do rio, ela insistiu ao Faraó que queria adotar aquela criança: a esposa do Faraó disse: “E a mulher do Faraó disse: Será meu consolo e teu. Não o mates! Talvez nos seja útil, ou o adoremos como filho. E eles de nada se aperceberam”. (28:9)

Asiya bint Muzahim tinha declarado a sua fé na mensagem de Deus depois de testemunhar o milagre de Moisés no Tribunal do Faraó. O Faraó tentou deixá-la longe do Deus de Moisés e buscou a ajuda de sua mãe. Mas Asiya recusou rejeitar o Deus de Moisés. Pela ordem do Faraó ela foi torturada e morta.

O Alcorão diz: “E Deus dá, como exemplo aos fiéis, o da mulher do Faraó, a qual disse: Ó Senhor meu, constrói-me, junto a Ti, uma morada no Paraíso, e livra-me do Faraó e das suas ações, e salva-me dos iníquos!” (66:11)

Nesta senhora vemos o exemplo do sacrifício supremo: casando-se com Faraó, Asiya bint Muzahim se tornou a Rainha do Egito, ela ganhou tudo que ela quis nesta vida mundana do ponto materialista de visão: a melhor roupa, comida, palácios, jóias, empregados e servas, etc. Mas ela sacrificou tudo por Deus. E por isso vemo-la incluída pelo Profeta na lista das quatro mulheres que alcançaram o nível da perfeição.

Maria (Mãe de Jesus):

Maria é uma das mulheres mais nobres dos ensinos Islâmicos, desde que ela foi escolhida para milagrosamente dar à luz ao Profeta Jesus.

Quando o Anjo se aproximou dela com a notícia de que ela foi escolhida como a mãe do Profeta que iria nascer milagrosamente sem um pai, ela ficou desconcertada e disse, "Quando terei um rapaz se nenhum homem ainda me tocou?"

O Anjo transmitiu a resposta de Deus: “É fácil para Mim. E pretendemos fazer Jesus um sinal ao povo e uma clemência Nossa; e isto é um assunto já decretado."

Ela estava sozinha quando as dores fortes do parto a compeliram, e tomou refúgio no tronco de uma tâmara. Ela estava afligida e disse, “lamento que eu não tivesse morrido antes disto" Então, Jesus nasceu e gritou: "Não aflija-se, seguramente o seu Senhor fez uma corrente para fluir abaixo de você; sacuda o tronco da árvore e cairão tâmaras maduras e frescas. Portanto coma, beba e refresque os olhos." Também lhe disseram: "Se você ver pessoas, não se incomode com as suas perguntas. Somente diga que você tem um voto de silêncio." Quando ela voltou à sua gente com Jesus, eles disseram, "Maria! Seguramente você fez uma coisa estranha; os seus pais foram gente bastante pura!" Ela apontou em direção ao bebê. Eles responderam, "Como podemos falar a uma criança no berço?" Naquele momento, Jesus, pelo poder do Deus, começou a falar. Ele disse: "Seguramente sou o empregado de Deus, Ele deu-me o Livro e fez-me um profeta. Ele fez-me abençoado onde quer que eu possa estar. Ele me mandou rezar, dar a caridade e ser obediente a minha mãe. Ele não me fez insolente. Assim, a paz esteja sobre mim no dia que nasci, no dia que morrer, e no dia que serei levantado para a outra vida."

Esta é a história da Virgem Maria e seu filho, Jesus, o Profeta e o Mensageiro do Deus, como mencionado no Capítulo 19 do Alcorão.

Khadija (A Esposa do Profeta Mohammad)

Khadija bint Khuwaylid, esposa do Profeta, é realmente conhecido como uma senhora nobre; ela foi, na terminologia moderna, a Primeira Senhora do Islam.

Durante a fase do movimento Islâmico em Meca Khadija foi principal pilar de apoio do Profeta Mohammad (S.A.A.S.). Ela foi a primeira a declarar a sua fé no Islam. A sua declaração de fé foi um grande testemunho do caráter do Profeta: uma esposa conhece o caráter exterior bem como interior de seu marido. Sendo a primeira pessoa a aceitar o Islam, Khadija demonstrou que ela acreditou na autenticidade de Mohammad como o Mensageiro do Deus.

Nos anos iniciais da missão do Islam o Profeta enfrentou a oposição severa do povo da cidade de Meca. Na linha de frente, Khadija forneceu o suporte moral e divulgou a moral do Profeta. Segundo os historiadores muçulmanos eles discutiram de forma mútua as questões relacionadas ao movimento Islâmico.

Khadija apoiou a causa do Profeta de forma sincera, colocando a sua prosperidade à sua disposição. Deus Todo-poderoso louvou isto dirigindo ao Profeta: “Não o encontramos na necessidade e fizemos o seu sem necessidade?" (93:8) foi pela prosperidade de Khadija que o Todo-poderoso fez o Profeta auto-suficiente nas suas necessidades financeiras.

Embora Khadija viesse de um contexto muito afluente, ela não se assustou ao sacrificar a sua prosperidade pela causa do Islam. Ela atravessou as dificuldades de três anos do embargo social/econômico imposto sobre o Profeta Muhammad e a sua família, a Banu Hashim. A miséria desses três anos conseqüentemente resultou na sua morte.

É ao seu crédito que o Profeta do Islam não se casou com outra mulher enquanto Khadija esteve vivo; ela foi a única esposa que carregava as crianças dele. O nome do Profeta é continuado através de Fatima, a filha do Profeta e Khadija.

Fátima (A Filha do Profeta)

Fatima bint Mohammad é uma de quatro mulheres nobres dos ensinos Islâmicos. Isto não é somente porque ela é a filha do Profeta do Islam, esposa do Imam Ali e mãe de Hassan e Hussain. Essas relações são significantes, mas Fatima é importante para os muçulmanos no seu próprio direito.

O profeta Mohammad (S.A.A.S) é visto como um modelo perfeito dos valores e ensinamentos que foram revelados no Alcorão Sagrado. Ele foi o último Profeta Alcorão foi a Revelação Final: nenhum profeta ou Escritura Sagrada devem ser enviados depois dele. Contudo, o Profeta foi homem e portanto ele não pode ser um modelo completo para metade da humanidade; por isso, houve a necessidade de um modelo feminino perfeito segundo os valores e ensinamentos alcorânicos. E este modelo de mulher foi Fatima, a filha do Profeta. Desta forma que Fátima é parte do Profeta; ela conclui a dimensão feminina da função do Profeta como um modelo de completo para a humanidade.

Por isso o Profeta do Islam descreveu Fatima como se segue: "a líder de todas as senhoras do Paraíso." (Sahih al-Bukhari, volume 4, p.819.)

"Fatima é uma parte de mim, e aquele que a faz zangada, faz-me zangado." (Sahih al-Bukhari, volume 5, p. 61.)

Segundo o Alcorão Sagrado (33:33) ela está entre os infalíveis do Islam. Esta posição de infalibilidade vem com uma parte da missão Profética: o profeta é o modelo perfeito dos homens ao passo que ela é o modelo de perfeição para as mulheres.

Fátima não só foi uma filha de carinho, uma esposa leal e uma mãe humanitária; ela é conhecida na história como uma mulher de conhecimento e sabedoria, e ela defendeu ativamente os seus direitos. Um exemplo excelente do seu ativismo social pode ser visto quando lhe foi negada a sua herança após a morte do seu pai. Fatima desafiou as autoridades no poder com bases no Alcorão. Ela argumentou que o Alcorão tem exemplos onde as crianças de profetas passados herdaram dos seus pais. Usando o Alcorão como a sua base, ela argumentou que seu direito não devia lhe ser negado.

Características das Melhores Mulheres:

• Ela é sempre contente: “Uma boa mulher é a que fica feliz e contente quando seu marido lhe dá carinho, e quando ele a encomenda para algo que é de seu direito ela obedece-lhe imediatamente, e nunca faz nenhuma coisa contra a sua vontade”. - o Profeta Sagrado Mohammad (S.A.A.S.)

• Ela é uma grande cozinheira e uma boa administradora: “Uma mulher que cozinha uma comida arrumada, limpa e deliciosa para seu marido. Deus fornece uma grande refeição para tal esposa no paraíso. No céu, lhe darão de beber e comer tudo o que você deseja, esta é a recompensa da dor e serviços que você executou para seu marido!” - o Profeta Sagrado Mohammad (S.A.A.S.)

• A melhor mulher entre as suas mulheres é aquele que cozinha uma comida deliciosa, gasta merecidamente e não desperdiça. “Tais mulheres são as servas de Deus, e as servas de Deus nunca se tornam desesperadas!” - Imam Jafar Assadeq (A.S.)

• Ela é inestimável: “Uma mulher não tem preço, mesmo estando bem ou mal. Uma senhora boa e bonita não pode ser medida com dinheiro, ouro ou prata, como ela é muito mais cara e preciosa do que dinheiro ou ouro. Semelhantemente uma mulher com mau caráter e natureza ruim não pode ser comparada com a areia, pois a areia é muito mais valiosa do que ela”. - Imam Jafar Assadeq (A.S.)

• Ela ama, preocupa-se e é paciente: “Você não quer que eu lhe diga quais mulheres entrarão no paraíso? Uma mulher que está amando e se preocupando com seu marido, e dá nascimento às suas crianças e quando ele se zanga com ela, ela imediatamente diz que a minha mão está na sua mão e ela não se torna satisfeita até que seu marido fique feliz com ela”. - o Profeta Sagrado Mohammad (S.A.A.S.)

• Ela é obediente: “A mulher feliz e afortunada é aquela que respeita seu marido e não lhe dá nenhuma dor, dano ou desconsola e não lhe importuna, assim como obedece-lhe em todos os aspectos direitos da vida”. - Imam Jafar Assadeq (A.S.)

• Ela faz Jihad: “O Jihad da mulher é que ela não deve perder a sua paciência se ela for prejudicada por seu marido. A sua paciência é o seu Jihad". - o Profeta Sagrado Mohammad (S.A.A.S.)

Fonte: http://www.arresala.org.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário