Você encontra aqui conteúdos da disciplina História e Cultura Afro- Brasileira para estudos e pesquisas, como também, assuntos relacionados à Política, Religião, Saúde, Educação, Gênero e Sociedade.
Enfim assuntos sobre o passado e sobre nosso cotidiano relacionado à História do Brasil e do Mundo.







Seguidores

Visitantes

domingo, 10 de julho de 2011

Sudão do Sul: novo país, problemas antigos


Bandeira do Sudão do Sul

E eis que, dia 09 de julho de 2011, surge um novo país independente no mundo. De acordo com algumas manchetes de sites de notícias: Sudão do Sul, o 1ºpaís soberano do século XXI.

Mas, o que levou a parte sul do Sudão querer a sua separação e soberania?

Essa questão não é recente. Vem desde a época da descolonização africana logo após a 2ª Guerra Mundial. O continente foi descolonizado, mas manteve as fronteiras impostas pelos colonizadores. No caso do Sudão (maior país do continente africano) vários conflitos podem ter levado à essa separação. A maioria desses conflitos, creio eu, tinha base em questões religiosas, visto que a porção sul do Sudão é cristã (eanimista também) e a porção norte, mulçumana.

Fonte: Folha.com (clique na imagem para ampliar)

Conflitos:
Um desses conflitos resultou na 1ª Guerra Civil Sudanesa (1955-1972), onde os sulistas exigiam sua autonomia regional. Houve também a 2ª Guerra Civil Sudanesa (1983-2005), onde a parte norte queria impor o código de leis islâmicas (chamadas Charia) à todo o país sudanês. Esse segundo conflito teve fim ao ser assinado um acordo de paz, pelo governo do Sudão, também conhecido como o Tratado de Naivasha (09 de janeiro de 2005). Foi através desse acordo que o Sudão do Sul conseguiu sua autonomia (mas, não a soberania, ainda):

Ficou estabelecido no acordo:
  • a formação de um governo interino no Sudão pelo Partido do Congresso Nacional (no poder) e pelo Movimento Popular de Libertação do Sudão (SPLM), com John Garang como primeiro vice-presidente;
  • autonomia de seis anos a região sul (Sudão do Sul);
  • referendo em 2011 (após o período de autonomia) com a possibilidade da população do sul optar pela independência;
  • divisão dos lucros do petróleo entre as duas partes;
  • anistia aos guerrilheiros do Exército Popular de Libertação do Sudão.
Então, como previsto nesse acordo, neste ano de 2011, deu-se início ao processo de referendo da independência do Sudão do Sul, processo esse que começou a ser votado em janeiro deste ano e terminou no dia 09 deste mês.

Agora, o Sudão do Sul tem uma nova configuração política:
  • País: República do Sudão do Sul.
  • Capital: Juba.
  • Língua oficial: inglês.
  • Presidente: Salva Kiir Mayardit.
Clique na imagem para ampliar.

O Sudão do Sul é um país rico em petróleo, contudo as indústrias que processam essa riqueza ficam no Sudão do Norte. A taxa de analfabetismo continua alta. Não há energia e o fornecimento d'água (que é gerido por empresas privadas) é feito por meio de carros-tanque (ou carros-pipa, como chamamos aqui no nordeste). Essas questões sociais e de infra-estrutura ainda vão persistir (mas isso não significa que seja para sempre). É por isso que digo, no (sub)título do post, novo país, problemas antigos.

Site Oficial do Sudão do Sul: http://www.southsudannation.com/

Para saber mais sobre a independência do Sudão do Sul, lei as notícias abaixo:
  • Essa notícia pode ser trabalhada para que o aluno compreenda a questão de Nação, Independência, Identidade;
  • Servirá também para a compreensão de que a História não se refere somente ao passado e que tudo que fazemos é História;
  • Pode-se relacionar a notícia à questão entre Palestina e Israel e solicitar que os alunos façam pesquisa sobre o assunto;
  • O assunto cabe também às disciplinas de Sociologia e Geografia (entre outras).

***********************************************
P.S.: A imagem da Folha.com teve algumas partes modificadas por mim, ma s a original pode ser visualizada no link informado.
P.S.²: Caso haja algum erro histórico no post pode entrar em contato comigo, através do email do blog, que a correção será feita.

Nenhum comentário:

Postar um comentário