Você encontra aqui conteúdos da disciplina História e Cultura Afro- Brasileira para estudos e pesquisas, como também, assuntos relacionados à Política, Religião, Saúde, Educação, Gênero e Sociedade.
Enfim assuntos sobre o passado e sobre nosso cotidiano relacionado à História do Brasil e do Mundo.







Seguidores

Visitantes

terça-feira, 10 de maio de 2011

Diga não a Precocidade Infantil!

Olá queridos leitores!
Sendo educadora apoio totalmente cada palavra digitada nesse artigo.

Por Renato Vargens

Um vídeo (veja abaixo) que trata do beijo de duas crianças já foi visto por mais de um milhão de pessoas no mundo todo, despertando nas pessoas que o viram expressões de louvor e graciosidade.

Pois é, confesso que a cada dia que passa me assusto com o comportamento da nossa sociedade. Lamentavelmente cada vez mais cedo meninos e meninas são instigados a adentrar ao mundo das relações; e infelizmente, pais, familiares, colegas da escola e principalmente a mídia, tem injetado nas cabecinhas de nossos filhos valores absolutamente adoecedores a sua saúde emocional. Junta-se a isso o fato de que também vivemos dias onde a relativização das relações pessoais se faz presente.

Caro leitor, é claro e notório que o lúdico, a fantasia, e as brincadeiras possuem um papel fundamental no desenvolvimento da psiquê humana. Na verdade, os momentos em que as crianças passam se divertindo brincando umas com as outras, contribuem para se desenvolverem tanto emocionalmente como intelectualmente.

Infelizmente a mídia tem tido um papel absolutamente desagregador em nossa sociedade, desconstruindo assim valores indispensáveis à saúde humana.

É inegável que os meios de comunicação ao longo dos anos imprimiram cada vez mais em nossas crianças a aceleração do descobrimento e afloramento precoce da sensualidade e sexualidade. Basta repararmos nas meninas que cada vez mais cedo, abandonam a brincadeira de boneca em detrimento do namoro com um menino. Em contra-partida ao focarmos na garotada logo percebemos que as brincadeiras saudáveis cederam lugar aos vídeos games e jogos eletrônicos que corroboram para o adoecimento da mente e do corpo.

Criança tem que ser criança! Viver o lúdico, a fantasia, desfrutar do riso, da alegria. Até porque, quando isso não acontece, a criança emocionalmente adoece.

Acredito que os pais possuem papel fundamental no resgate de valores da moralidade. E para tanto é indispensável que entendamos que a televisão foi feita para entretenimento do povo e não para ser babá eletrônica de nossos filhos. É imperativo e necessário também que entendamos que queimar etapas em vez de significar promoção social, representa regressão emocional para muitos de nossos infantes.

Quero através deste artigo incentivá-lo a nutrir na garotada o prazer pela vida. A vida é bela, é deve ser vivida momento a momento. Criança deve ser criança, até porque é sendo criança, vivendo como criança, não queimando etapas, nem tampouco ultrapassando os limites naturais da vida é que poderão no futuro construir um mundo melhor.

Viva o Pique!

Renato Vargens


Nenhum comentário:

Postar um comentário