Você encontra aqui conteúdos da disciplina História e Cultura Afro- Brasileira para estudos e pesquisas, como também, assuntos relacionados à Política, Religião, Saúde, Educação, Gênero e Sociedade.
Enfim assuntos sobre o passado e sobre nosso cotidiano relacionado à História do Brasil e do Mundo.







Seguidores

Visitantes

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Um pouco de Literatura Africana





Orixás são entidades cultuadas no Candomblé e na Umbanda, trazidos para o Brasil no período colonial através dos africanos de origem iorubá (onde hoje é a Nigéria e o Benin).
Quando o deus Olodumaré decidiu criar o mundo, cada orixá ficou responsável por alguns aspectos da natureza e da vida em sociedade.
Cada humano surgiu de um desses deuses e herda dele algumas de suas características. Não há como quantificar o número de orixás existentes.
No Brasil, o Candomblé cultua uma parcela tímida dos mais de 200 existentes na África Ocidental.

Conheça e entenda um pouco dos orixás mais populares :

Exu
É o mensageiro entre os homens e os orixás e transportador das oferendas. Controla as forças que agem sobre a nossa realidade. Exu também é homenageado às sextas-feiras.

Ogum
Forte e corajoso, é conhecido como orixá da guerra e do fogo. Criou o ferro, a tecnologia e a metalurgia. Por isso, é padroeiro de todos os que manejam ferramentas. Seu símbolo é a espada.

Xangô
Senhor dos raios e dos trovões. Durante sua vida na Terra foi rei de Oyó, uma das principais cidades de língua iorubá. Por esse motivo, quando seus filhos o incorporam usam uma coroa.

Oxóssi
Orixá da mata e caçador, garante o alimento de todos os outros deuses. É considerado o guardião da agricultura e da natureza. É umas das divindades mais populares do Candomblé.

Oxalá
Separou o mundo material do espiritual. Muito respeitado, tanto pelos devotos humanos quanto pelos demais orixás, ajudou Olodumaré a criar o homem e o princípio da vida.

Oxum
É a senhora das águas doces, dos lagos e das cachoeiras. É tida como bela, vaidosa, rica e sensual. É a orixá que regula o amor e o poder de gestação das mulheres.

Obaluaiê
É o orixá das epidemias e também da cura. Traz em seu corpo as marcas das doenças que carrega, por isso precisa se esconder atrás de um chapéu de palha em forma de manto.

Oxumarê
Tem a forma de arco-íris e liga o céu e a terra. Controla a chuva, a fertilidade do solo e a prosperidade propiciada pelas colheitas. É masculino e feminino ao mesmo tempo.

Iansã
Dirige ventos, raios, tempestades e a sensualidade feminina. Representada sempre como uma guerreira, é senhora dos espíritos dos mortos, que encaminha para o outro mundo.

Ossaim
Deus das folhas e das ervas medicamentosas. Seus sacerdotes conhecem as palavras que ativam o poder de cura das plantas. Segunda e sábado também são dias desse orixá.

Iemanjá
Reconhecida como mãe de todos os outros orixás, é a deusa das águas. Rege o equilíbrio emocional e a loucura. Destaca-se pela feminilidade, generosidade e maternidade.

(Fonte : http://afrikasmitos.blogspot.com/ , da minha amiga Andréia Potter).

NOTA:

Devemos saber separar a literatura da religião.
A PAZ entre os povos só acontecerá no momento em que cada um aprender a respeitar as diversidades religiosas e culturais: a PAZ não está nesta ou naquela direção, e sim no que fazemos ( filtrando as inúmeras bobagens que nos são ditas ) com o entendimento daquele caminho que escolhemos trilhar, tomando sempre o cuidado para não fazer desse caminho um sacerdóceo.

Somos todos iguais perante os olhos do Criador.
Pense nisso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário